Sistemas Operacionais

Sun tenta empurrar Solaris na marra para usuários do Java 6 de 64 bits

A Sun, criadora da linguagem Java, vem usando uma tática que lembra os piores tempos da Microsoft quando se trata de promover seu kernel Open Solaris.

Eles não distribuem uma versão 64 bits do Java para Linux mas, se você selecionar Solaris como sua plataforma, há uma versão prontinha para download. Se você perguntar, é claro que dirão que é porque eles tem o Solaris na plataforma SPARC e que ainda não tiveram tempo de fazer uma versão pra x86. Mas isso não faz sentido nenhum.

O Linux e o Solaris obedecem aos mesmos padrões POSIX e possuem interfaces semelhantes dos utilitários mais comúns dos Unix em geral. Fornecer uma distribuição de 64 bits do Java para Linux seria questão de adaptar alguns detalhes, literalmente alguns minutos ou horas de trabalho de um especialista da Sun. No entanto, eles obrigam a comunidade Linux a utilizar o Java 1.4.2 de mais de 4 anos atrás enquanto que o usuário Solaris tem o privilégio de usar o 1.6

Na minha opinião isso é uma tentativa fútil e imatura de obrigar a comunidade GNU a adotar o OpenSolaris ao invés do Linux.

Mas, por que fariam isso? Se a Sun tem realmente a intenção de manter o OpenSolaris aberto, por que então tentam condicionar o uso do Java em 64 bits ao Solaris? O Java também não é aberto? Realmente não faz sentido.

Aliás, faz sentido, sim, se a intenção deles é a de prender todo mundo ao Solaris e depois cobrar por isso de alguma forma.

Veja bem, eu acho que a Sun deve cobrar pelos excelentes produtos que oferecem, mas tem que ser coerente na sua política. Ou é, ou não é, aberto. Se querem vender o Solaris, então vendam, é mais que um direito deles. Mas ficar fazendo picuinhas para nos obrigar a usar Solaris é bobagem, vejam aí a situação triste da Microsoft por ter jogado baixo durante tantos anos. A Microsoft tentou condicionar o uso do Windows à adoção do Internet Explorer. Dançou.

Se a Sun entrar nas estratégias da Microsoft ela não durará mais uma década sequer. Condicionar o uso do Java 64 bits à adoção do Open Solaris pode indicar o início do fim da linguagem Java(e da própria Sun).

Problemas com Java em 64 Bits no Linux? Ora pois, use Perl
Pra falar a verdade, o Java é uma linguagem burocrática e, sem ofensas, chata demais de trabalhar. Um simples programa exige o conhecimento de uma API cheia de nuances, cheia de “burocracia”, interfaces que tem que ser obrigatoriamente implementadas por completo ou dá pane no compilador, objetos pesados até para tratar de strings e por aí vai.

Quem trabalha com Java sabe que realmente não é uma linguagem muito produtiva. Os melhores programadores Java que conheco afirmam a mesma coisa : é demorado desenvolver em Java. Uma coisa eu concordo : ela promove um design elegante de programas, e esses costumam ter boa escalabilidade devido a sua estrutura (obrigatoriamente) bem organizada, mas, sinceramente, a minha filosofia é de não entrar na casa alheia porque não fui convidado e não porque há uma cerca elétrica me impedindo.

Se você achou essa última frase familiar, é porque eu a plagiei de Larry Wall, criador da linguagem Perl. E essa sempre foi minha filosofia com software. Veja bem, o Java vigia tudo o que você faz. É uma KGB vigiando tudo o que voce programa, controlando, medindo e intervindo o tempo todo.

A linguagem Perl, no entanto, te permite destruir seu programa com facilidade. Não há cercas, nem muitas regras. O if() pode vir antes ou depois da acão, como na linguagem humana. Pegue o carro se quiser ou, se quiser pegue o carro, significam a mesma coisa, e assim funciona no Perl também.

O Perl tem um coletor de lixo(GC) e não conheco qualquer vazamento de memória encontrado no Perl de muitos anos pra cá, portanto se argumentarem sobre o GC inteligente do Java, eu respondo que o do Perl é igual (ou melhor, dependendo de onde voce olhe).

Perl não é burocrática, com algumas linhas apenas você implementa um filtro que abre um arquivo, processa linha por linha, e fecha. Sem class, main(), try, catch e meia dúzia de “imports”. Web e Perl nasceram juntas, programar em Java na web é mais ou menos como estudar fisica quântica pro vestibular. Não que java seja tão complexa quanto a fisica quântica, mas porque é um exagero de complexidade para nosso tempo cada vez mais raro.

Enfim, aproveitando que a Sun não quer que seu Linux 64 bits tenha o Java 6, tire um tempinho para aprender Perl. Verá que seu dia vai render mais e seus programas vão rodar em 32 e 64 bits do mesmo jeito sem ter que implorar à Sun para lhe fornecer uma máquina virtual.

Standard