Divagações, Redes

A rede fantasma que rondava Brasília

Rádio Pirata

Lembrei-me de minha idéia de juventude, de montar uma rádio pirata sob o capô de meu Fusca e sair transmitindo por aí na frequência de uma rádio bem popular da cidade, só para causar.

Aquele cara havia realizado minha idéia de tantos anos antes, só que na era digital.

E não era uma rádio pirata, era uma tática de marketing perfeitamente legal.

Como eu havia estudado os riscos de se fazer uma rádio pirata (nunca cheguei a implementar o plano por isso), tinha também aprendido como fazer triangulação de sinais para encontrar a fonte.

Nesse dia, aquele conhecimento que jamais havia usado me serviu para algo!

Banda Livre

A banda ISM, que é usada por redes sem fio, drones, portas de garagem, telefones sem fio (“Wi-Fi”) e controles remotos de todo tipo é liberada para transmissão.

Todo aparelho que utiliza a banda ISM deve conter um aviso de que esse aparelho deve aceitar interferência de outros que usam a mesma banda. Quando um dispositivo usa a banda ISM, ele está aceitando esse contrato.

Em outras palavras, todos podem transmitir nessa banda sem prejuízo e sem serem processados por isso.

Se o seu aplicativo contar com a banda ISM para algo crítico, o erro é seu e não de eventuais interferências.

O rapaz que divulgava seu site dessa forma pelas ruas de Brasília não fazia nada ilegal.

O problema era dos telefones gananciosos, que se conectavam à primeira rede grátis que encontravam.

Lembrei dessa história em função do post sobre Spam físico, onde o bluetooth foi usado nos Estados Unidos com o mesmo propósito.

(Bluetooth, por sinal, também usa a banda ISM)

Continuar Lendo:   Página Anterior
Standard